Aguarde. Carregando informações.

+55 (82) 3342-2881

faleconosco@ibgenesis.com.br

http://ibgenesis.com.br

Em meio à guerra civil, cristãos sírios buscam formas “singelas” de celebrar o Natal

26/12/2012 às 12h00 - Atualizado em: 02/08/2016 às 18h34

No ocidente, a celebração do Natal é algo comum e tradicional, e a data é marcada por decorações das cidades, inauguração de árvores natalinas e papais noéis em centros de compras. As igrejas, quase que em sua totalidade, fazem alguma programação especial, como cantatas, peças de teatro, sermões, etc., lembrando o nascimento de Jesus.

Porém, os cristãos de países onde o Evangelho não pode ser pregado livremente, seja por restrições legislativas, ou por intolerância religiosa dos cidadãos, essa época é bastante tensa e diferente.

Segundo o site da Missão Portas Abertas, os cristãos sírios, que junto com todo o país, atravessam uma guerra civil, não poderão celebrar o nascimento do Salvador.

- Vamos aproveitar a oportunidade de Natal para visitar famílias que têm enfrentado dor e sofrimento – declarou um pastor que reside em Damasco, capital da Síria. Não identificado por questões de segurança, o líder afirma que as igrejas da cidade farão um culto para celebrar a data, porém “sem decorações, nada chamativo”.

A guerra, ainda em curso, contra o regime do ditador Bashar Al-Assad deixou marcas profundas na população: “A cidade inteira está de luto pelas perdas de seu povo (família e amigos) este ano, por isso as pessoas não têm motivos para comemorar”, disse, lembrando que sua congregação preparará “algo singelo” para que as crianças tenham a data marcada na memória. “Vamos apenas servir uns aos outros e nos concentrar em ficar juntos para orar”, revelou.

O pastor de outra congregação em Aleppo, uma importante cidade no norte da Síria, afirma que a situação é semelhante na sua região: “Nós não celebraremos o Natal como antes. Teremos cultos na igreja e vamos convidar os membros da igreja para vir e trazerem seus amigos. O foco será nas crianças mais do que nunca, porque elas precisam sentir alegria”.

Já em Latakia, numa região um pouco mais afastada, o cenário volta a se repetir: “Não vai ser como nos anos anteriores, vamos celebrar e ter cultos, mas vai ser limitado, teremos uma programação pequena e um tempo de oração”.

A Missão Portas Abertas pede orações pelos cristãos nessas localidades: “Ore por segurança e força aos cristãos da Síria. Que Deus não só os proteja, mas lhes fortaleçam neste Natal. Ore também para que os cristãos tenham ânimo para cultuar durante o Natal e que Jesus os console”.

Fonte: Gospel+